5 dicas rápidas sobre composição

Neste artigo, trarei 5 dicas rápidas para você começar a refletir sobre o ato de compor.

Dica 1 – Escute, escute e escute muito!

Quanto mais você escutar e entender um estilo melhor você irá compor naquele formato. As 12 notas são as mesmas em qualquer estilo.  Contudo, saber “falar” em um estilo é como saber usar o português em determinadas situações. Por exemplo: a forma que você fala com um amigo, é diferente da forma que você fala com seus pais. Saber dosar a força do ataque (dinâmica). Conhecer a linguagem de um estilo é importante para que você se expresse dentro dele (fraseado). E para isso, a melhor forma é estar ligado através da escuta.

Dica 2 – Analise dentro dos 3 pilares

“A análise é mais bem realizada quando contém a combinação de intuição, experiência e razão” Rothstein

É importante lembrar que existe diferença entre o que o autor compôs e o que está sendo interpretado. A composição começa dentro da mente do compositor e vira obra ao ser interpretada. A composição está ligada a formação teórica e prática do autor. Já a interpretação está relacionada aos critérios técnicos relativos ao instrumento e emocionais do interprete. Claro, isso caso o compositor não estiver interpretando a sua própria obra.

Dica 3 – Fundamentos estéticos

São características de um estilo que estão mais próximas de você do que outro. Exemplo: se você escuta e gosta mais de Rock do que MPB, você terá mais elementos do Rock na sua composição. As características são o diferenciam um estilo musical do outro.

Dica 4 – Saber ler, escrever e entender como a obra deve ser interpretada.

É fundamental um compositor ter uma boa escrita, que expresse o que o interprete deve tocar. Contudo, sempre a representação gráfica está diferente do que o compositor quer ouvir. Pois, por enquanto a composição está no papel, ela não existe ainda. Por isso que a interpretação pode ser muito diferente da imaginação ou intenção do compositor.

Dica 5 – Tempos modernos

Hoje temos ferramentas virtuais que ajudam o compositor a escrever realmente o que ele deseja ouvir, pois ele sempre vai estar limitado às ferramentas que se têm a sua disposição no momento de transcrever o que tem em mente.

Espero ter ajudado vocês pessoal!

Carlos Lichman

Carlos Lichman graduou-se em música e trabalha como músico profissional desde 1996. Sua paixão pela música sempre foi acompanhada pela necessidade de compartilhar seus conhecimentos musicais. Então realizou workshops de guitarra na América do Sul e Europa, é autor de muitos cursos, incluindo digitais online, gravou CDs, DVDs e tem livros escritos ensinando técnicas avançadas e conceitos musicais. Trabalhou com nomes famosos da música como Kiko Loureiro (Angra/Megadeth), Pablo Soler (Argentina), Celso Barbieri (Reino Unido), Richie Kotzen (EUA), Theodore Ziras (Grécia), Miguel Mega (Portugal), Vernon Neily (EUA), Francesco Fareri (Itália), Krzysztof Gwiazda (Polônia) e Pawel Burczyk (Polônia).